A Verdade é a Base do Verdadeiro Amor Cristão

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Uma ilustração de Graça

Conta-se que um homem transitava por uma rua deserta de uma grande cidade, e ao seu lado seu filho de 9 anos, no qual andavam pegado na mão de seu amado pai, e muito alegre. Ele amava o filho, o filho amava o pai. E os dois vinham caminhando por aquela rua, numa tarde agradável, clima ameno, e de repente surgiu do nada um assaltante. O salteador anuncia o assalto, coloca o revólver na cabeça do pai, aquele homem não reage, diz que está disposto a entregar tudo o que quiser, e passa a carteira, passa o celular, passa o relógio, deixando-o apenas com a roupa do corpo. 

Antes de ir embora, o assaltante aponta o revólver para a cabeça do filho daquele homem e aciona o gatilho, à queima roupa, de uma forma que os miolos do menino saem pelo outro lado, vindo o garoto a cair ao chão. Aquele homem fica desesperado gritando por socorro, e o assaltante começa a correr, e na correria atravessando pela rua surgiu um carro em alta velocidade e atropela o assaltante naquela hora. Ele ficou lá estendido e o carro foi embora sem prestar socorro. Aquele homem olha para seu filho procurando ter alguma idéia de como socorrê-lo, olha para o assaltante, olha para seu filho e vê que já está morto, e olha para o assaltante onde ele se mexe, agonizando e precisando de socorro. Aquele homem lembra que seu carro está parado mais ali na frente, e ele então toma o assaltante pelos braços, leva-o para o seu carro, coloca-o deitado no banco traseiro, depois volta e pega o seu filho e coloca-o no banco dianteiro e rapidamente vai para o hospital.


Chegando ao hospital, ele descarrega seu filho no necrotério, vai para a emergência, tira o assaltante e leva-o a recepção, os maqueiros pegam o assaltante e leva-o para a sala de emergência. A enfermeira pede o nome do assaltante e ele responde que não sabe, e diz que ele foi atropelado. A recepção do hospital informa que aquele homem não será atendido se não der o calção, e o aquele homem dá seu cheque caução, vindo o assaltante a ser socorrido, foi operado, e dias depois o assaltante recebe alta. E aquele homem volta ao hospital e paga integralmente aquela conta.

Você teria a mesma atitude do pai do garoto? 
Você pagaria para salvar a vida do mal feitor?

Assim também se deu na relação de Deus conosco. Aquelas pessoas que pediam freneticamente a morte de Jesus e a libertação de Barrabás, aquela turba era a multidão que nos representava, pois se lá estivéssemos teríamos feito exatamente o mesmo... “Soltem Barrabás e prendam Cristo...” (Mt 27:17-21).


Estêvão bem falou em Atos 7:51-52 “Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais. A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual VÓS agora fostes traidores e homicidas;”, sendo esta mesma acusação está sobre nós, inclusive nós que já fomos alcançados pela graça do Senhor.

Como é possível!? Sou cristão, sou um salvo! Será que Jesus Cristo prestou favor a um pecador que torceu por Sua morte? Pois é exatamente isso, Sim! Ele pagou com Seu sangue na cruz por nós pecadores, ou melhor, por aqueles que o Deus deu ao Filho Jesus (João 17:11, 24). E o nome disso é GRAÇA, favor imerecido. A graça de Deus é um dos Seus mais extraordinários atributos (os demais são o Amor, Paciência e a Misericórdia).


É pela graça que somos salvos, é pela graça que Deus reabilita a Sua glória em nós, é pela graça que a glória do Senhor volta a brilhar em cada um nós.


Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. (Efésios 2:8)

Sola Gratia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário