A Verdade é a Base do Verdadeiro Amor Cristão

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Será que os cristãos não devem QUERER ficar ricos?


“Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.” (1Timóteo 6:9)


No novo Testamento encontramos essa passagem, assim como outras igualmente sérias (algumas dos lábios de Jesus) que nos advertem contra colocar nossos corações nas riquezas, vivendo nossas vidas com o objetivo principal de acumular riquezas. Não é simplesmente uma questão moral, mas há muito dito aqui em termos de sabedoria e prudência.


Creio que o apóstolo está avisando que devemos nos vigiar e sermos muito cuidadosos pois a busca de riqueza pode se tornar uma armadilha sutil e devastadora. O desejo por essas riquezas, e o poder que vem com elas, pode cegar a pessoa para outras coisas que são muito mais valiosas e importantes aos olhos de Deus. Pode de tal maneira distrair nossa atenção de riqueza fundamental – a riqueza espiritual – que somos pegos e caímos numa armadilha, presos a tal ponto nessa busca, que somos capazes de comprometer nossa integridade a praticamente qualquer coisa para ganhar aquele poder. A riqueza pode nos destruir.

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.” (Mateus 6:19-20)

Lemos esse outro ditado no Novo Testamento: “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males.” (1Tm 6:10). Dinheiro em e por si mesmo não faz nada – ele não sai para matar ninguém, por exemplo. Mas a nossa paixão pelo dinheiro e por aquilo que ele nos dá, indica alguma coisa a respeito de nosso coração. Jesus disse que não devemos estocar tesouros na terra, mas sim no céu (Mt 6.19-20). Essas advertências e avisos são muito sérios e devemos examinar nossas almas para ter certeza que não fomos pegos por um desejo de riqueza e prosperidade a ponto de negligenciarmos as coisas de Deus.

Não há nada de errado em desejar ter roupa sobre o seu corpo nu, ter alimento para seu estômago faminto, ter uma casa confortável para viver. Não há nada de errado em tentar obter lucros nos negócios. Em última análise, seu lucro pode ajudar a muitos, ou a todos; pode ter um efeito positivo no mundo. Sem lucro não há comércio, e sem comércio não existe bem estar material.

O desejo de prosperar é legítimo. Deus até mesmo promete certos elementos de prosperidade para seu povo. Mas a busca da prosperidade deve estar sempre circunscrita pelas prioridades do reino de Deus. Penso que o apóstolo está nos dizendo que se desenvolvemos uma fixação por prosperidade, perdemos o equilíbrio, e também o reino de Deus.


RC Sproul
Teólogo, Pastor e Professor em Orlando, na Flórida.
Extraído do Livro Boa Pergunta! – Editora Cultura Cristã


Nenhum comentário:

Postar um comentário